A DC vai sim continuar com um Universo Estendido

Após o sucesso de Aquaman e a continuação de anúncios de filmes do Universo DC os fãs recriaram a esperança sobre o futuro. Apesar das críticas constantes ao descaso com os maiores super-heróis da editora (como Superman e Lanterna Verde), que não recebem avanços, a Warner continua dizendo que acredita em seus personagens através de anúncios de personagens diversos.

Porém, em entrevista publicada pelo Hollywood Reporte[1] na manhã de ontem (19), um dos principais produtores executivos da Warner reforçou a colocação de Kevin Tsujihara, também no inicio do ano passado[2], com o que os fãs devem esperar do posicionamento do estúdio em relação ao UDC nos cinemas.

“Sentimos que viramos uma página agora. Estamos jogando pelas regras da DC, que são muito diferentes das da Marvel. Estamos muito menos focados em um universo compartilhado. Nós fazemos um filme de cada vez. Cada filme é a sua própria equação e entidade criativa. Se você precisa dizer uma coisa sobre nós, é que precisa ser sempre sobre os diretores”

A fala de Toby Emmerich causou enorme confusão pela sua colocação quando diz que não estão focados em um universo compartilhado da DC. Essa parte, em especial, foi muito utilizada em chamadas de sites de notícias sobre filmes e as pessoas desatentas (e que não se dão ao trabalho de entrar na notícia) podem ter entendido errado o que Emmerich quis realmente dizer.

Não focar em um Universo Compartilhado não quer dizer, essencialmente, que o estúdio voltará a fazer filmes isolados de cada personagem — como a franquia do Cavaleiro das Trevas de Nolan, por exemplo — ou que evitarão fazer referência a existência de outros heróis e vilões do universo, mas sim que, diferentemente da concorrente, não irá mais se preocupar em criar relações entre cada longa para assim formar um arco que seria resolvido num futuro filme-evento (como Guerra Infinita e Ultimato), pelo menos não por enquanto. A fala de Toby Emmerich intensifica que o estúdio voltará a dar liberdade criativa aos diretores e apostará na diversidade de tons e gêneros, coisa que a Warner sempre foi reconhecida por fazer e o produtor relembra nas últimas palavras de sua fala.

Vale lembrar que, como dito, apesar de todo o alvoroço que a fala atual vem causando, a nova tentativa do estúdio já tinha sido revelada pelo CEO Kevin Tsujihara no ano passado, quando finalmente reconheceu que a Warner Bros. não poderia continuar tentando ser a Disney e que, apesar do a maneira de negócio ter dado muito certo para a companhia rival, a Warner “precisa continuar criando uma lista equilibrada com todos os tipos de filmes e gêneros”.

Os próximos lançamentos da DC são SHAZAM! e Coringa (que não tem relação com o universo); Mulher-Maravilha 1984 chega em 2020 com Aves de Rapina (e a fantabulosa emancipação de uma Alerquina). Liga da Justiça, The Batman, Tropa dos Lanternas Verdes, The Flash, Cyborg, Besouro Azul, Batgirl, Sereias de Gotham e Novos Deuses não possuem data de lançamento. Com o novo posicionamento do estúdio é esperado que Liga da Justiça 2 não chegue aos cinemas tão cedo.


Fontes: 

[1] Toby Emmerich on Warners Bros.’ ‘Crazy Rich’ Year: “We All Feel Like We’ve Turned a Corner Now” THR

[2] “CEO DA WARNER BROS. DIZ QUE FILMES DA DC NÃO PODEM TENTAR COPIAR A DISNEY” IGN

 

 

DC, DC Films, TobyEmmerich, Universo Compartilhado DC, WarnerBros, WarnerMedia

Comment

Desenvolvido por Vedrak  2018-2019

%d blogueiros gostam disto: